top of page
  • Brighid

Capítulo 4 - Um cetro por uma cidade

Valiant seguia em lágrimas e estava jogado ao chão, todos os companheiros, incluindo a Lesly, se aproximaram mas Hera foi a que rompeu o silêncio:


– "O que houve Valiant? Onde está Ragna?"


Fardos, que estava observando a aglomeração, disse:


– "Ragna está perdida, não sinto mais a sua energia… Variphor a levou para sua dimensão…"


Todos olharam para Fardos com pavor e suas faces demonstravam claramente seu medo, o silêncio tomou conta, mas Riberus, que também estava em lágrimas perguntou:


– "Como isto ocorreu? Como ele chegou até aqui? Há uma forma de salvarmos ela? Por favor diga que sim!"


Fardos se aproximou de Riberus e disse:


"Nós não temos qualquer controle sobre o que ocorrerá com ela, a dimensão em que ela está é controlada por Variphor, e isto é um problema aos nossos planos… Ele agora possui informação detalhada de cada um de vocês…"


E prosseguiu: "Ragna foi levada por Variphor em um estado intermediário entre nosso mundo e o dele, em uma fenda entre nossas realidades, o local era acessível por um dos cristais de sonhos na qual os dream wardens possuíam em sua fortaleza."


Fardos invocou uma névoa que se acumulou no centro de todos, ao seu meio imagens começaram a aparecer, ele falou:


– "Sei que querem salvar a Ragna, e buscaremos isto! Para que seja possível necessitamos prosseguir com o plano… O sonho de Azerus na qual Valiant e Ragna viram possui uma das peças chaves para que possamos encontrar mais informações dos seguidores de Variphor e sua localização".


– "Esta peça chave existe antes mesmo deste mundo, antes dos deuses, portanto nenhum de nós criou este artefato, um fato curioso em relação a ele é que deuses não podem tocá-lo, mas suas criações sim."


– "Ele não possui um tamanho real, pode assumir e adaptar-se a qualquer tamanho, e em cada dimensão ele possui uma aparência, bom, sua função? Ele permite conectar dimensões controladas por diferentes deuses."


Todos estavam assustados e espantados com a explicação de Fardos, e no centro da névoa a imagem do estranho artefato apareceu para que todos pudessem vê-la. Fardos prosseguiu e falou:


– "Este cetro é extremamente poderoso e imprevisível, diferentes deuses tentaram fazer com que suas criações tentassem obtê-lo, e uma delas conseguiu por um tempo. Bom, na realidade não conseguiu, mas logo entenderão por que."


Valiant, que já estava visivelmente melhor, falou:


– "Eu já ouvi falar sobre este cetro, creio que o chamam de cetro das dimensões."


Fardos, confirmou em tom de sorriso:


– "Exatamente Valiant, este é o cetro das dimensões, e vocês deverão conseguir um deste. Só há um problema…"


– "Deuses não podem rastrear tal artefato, mas as informações que possuo é que existiram ao menos 3 em nossa dimensão. O primeiro está sob controle de Zathroth, em sua biblioteca secreta, protegida por um de seus servos. O segundo estava com Azerus, que o levou para a dimensão de Variphor. E o terceiro está em um paradoxo temporal no momento, está em posse de vocês, mas também não está ainda."


Todos observaram-se assustados e buscavam em suas coisas se possuíam tal artefato, Fardos rapidamente fez com que a imagem no centro da névoa mudasse para uma cidade no que parecia ser um continente antigo semelhante a Kilmaresh, sua voz interrompeu os aventureiros que ainda estavam buscando em suas mochilas pelo cetro em vão:


– "O cetro não está aqui, ainda… Todos vocês conhecem a cidade de Nuur?"


Todos acenaram positivamente, mas Petros decidiu acrescentar algo mais:


– "Conheço partes de tal cidade, Senhor. Mas existem apenas ruínas, tal cidade aparenta haver sido destruída de forma muito violenta".


– "Correto, Petros". Falou Fardos, e acrescentou: "Ela foi destruída por Fafnar, apesar que os habitantes da atual Issavi atribuem este fato a Suon… E o motivo? Bom… foram vocês que causaram a sua ira sobre aquela cidade."


Todos gritaram em tom de surpresa e medo:


– "QUE?, nós nem existíamos em tal época."


– "Este é o paradoxo… vocês usarão uma máquina do tempo para voltar ao passado. Lembram-se dos Shapers? Eles possuem ainda uma máquina do tempo intacta, está protegida em uma de suas cidades que vocês já conhecem. Tudo o que precisam é chegar a este ponto…" Fardos falou enquanto mostrava no mapa de Valiant o local exato da máquina e instruções de como acessá-la, ao terminar de informá-los ele continuou falando:


– "Ao usar a máquina vocês serão transportados para outra cidade Shaper ainda maior que aquela ruína que conheceram. Ela está localizada no subsolo de Krailos, há uma saída para a superfície, preciso que consigam chegar lá vivos, os esperarei lá para explicar o que farão em Nuur, só irei intervir em caso de extremo perigo a vocês, e de forma que os Shapers não percebam que fui eu. Devo evitar que a antiga aliança não seja desfeita antes da hora e que isso possa causar a falha em nossos próximos passos do plano…"


O medo tomou conta de todos, e Hera não se conteve, interrompeu e disse:


– "Como? Chegar vivos? O que há naquela cidade, não foram todos destruídos?"


– "Naquele tempo, ainda não. Eles estavam mais fortes que nunca… Vocês não serão bem recebidos, os guardas da cidade atacarão ferozmente. E por conta de sua rede neural que conecta a mente de todos eles haverão milhares de olhos em vocês, cada ângulo, cada movimento, eles saberão antes… não será uma luta fácil para vocês…", respondeu Fardos.


O medo era visível entre os aventureiros mas o plano tinha que ser seguido, apenas com o cetro em mãos seria possível algum avanço. Todos prepararam seus suprimentos e partiram ao portal da biblioteca que indicava a cidade de Thais, de lá seguiram para o local conhecido como Halls of Hope que continha o portal para as ruínas Shapers. O caminho foi relativamente fácil e logo se depararam com uma enorme parede lisa de rocha.


Isis e Petros, os magos, começaram a invocar poderosas magias que foram interrompidas por Valiant:


– "NÃO, esta parede não pode ser derrubada desta forma, isso causará a destruição da máquina caso esteja muito próxima por detrás dela… Precisamos buscar por algum mecanismo que faça ela abrir, deve haver algo escondido."


Após minutos de busca, Riberus chamou a todos:


– "Encontrei uma alavanca aqui! Está no meio destas plantas…", enquanto falava puxava a dura alavanca, que parecia haver enferrujado após tantos séculos.


Um estrondo ecoou sobre toda a ruína shaper, o enorme paredão liso começou a baixar. Lentamente os aventureiros puderam observar o que seria uma legítima máquina do tempo Shaper, semelhante a outra que eles já haviam conhecido em outros tempos na luta contra o Guardião do tempo.


Um a um, eles se aproximaram da máquina e prepararam para a travessia, puxaram as alavancas presentes nela de acordo com indicações de Fardos e prepararam-se para puxar a alavanca final que os transportaria ao passado. Ao ativar a máquina todos sentiram o chão sumir abaixo de seus pés, e logo estavam em um ambiente semelhante, porém muito mais limpo e arrumado, era uma cidade shaper legítima e intacta, ao fundo estavam guardas que já haviam os avistados e estavam correndo em sua direção.


– "Rápido, Olga, venha comigo na frente, Hera e Aerodus por favor atenção, precisaremos de uma cura rápida, a situação irá esquentar…" Falou Valiant, enquanto desembainhava sua espada, ao seu lado estava Olga com seu enorme machado.


Isis e Petros já estavam com suas runas preparadas, enquanto Riberus estava com seu arco equipado com poderosas flechas de diamante com capacidade de causar um bom dano em área.


O combate estava duro, a cada minuto mais guardas chegavam, tanto Olga como Valiant estavam quase ao limite e cada vez os guardas pareciam acertar mais e mais golpes, como se a medida que o tempo passasse, mais eles aprendiam sobre seus movimentos.


A quantidade de guardas superou a capacidade dos cavaleiros, logo esses passaram a atacar ferozmente a Hera e Aerodus, os druidas. A situação parecia estar saindo do controle, já que a qualquer momento algum deles receberia algum dano letal e morreria.


– "Valiant, aguente firme, estou aqui te curando, levante seu escudo!", falou Hera enquanto ele, em total silêncio, dava sinais que iria sucumbir.


Valiant caiu ao solo, estava vivo, porém severamente machucado, os guardas estavam a ponto de derrubar Olga e Hera quando um som de explosão rompeu pelos corredores da cidade shaper, era um objeto voador em alta velocidade.


Uma espécie de espada altamente luminosa rasgou o ar e matou instantaneamente centenas de guardas shapers, o poder era tão extremo que até mesmo algumas paredes racharam e outras se romperam, os shapers que ainda estavam vivos correram para fugir de tal objeto, que assim como bruscamente apareceu, também sumiu.


– "Foi Fardos, ele nos salvou!" Falava Hera, quase sem fôlego, enquanto curava e levantava a Valiant que estava voltando a consciência lentamente.


– "O que era aquilo? Parecia uma espada, mas sua luz era muito forte…, o importante é que nos salvou…" Falou Petros, enquanto preparava mais runas em caso que mais guardas aparecessem.


– "Eram muitos… e muito fortes. Vamos logo buscar a saída para a superfície, antes que estes shapers mudem de ideia e tentem atacar novamente." Falou Olga, com objetivo de acelerar a equipe, que estavam fascinados com a destruição que aquele objeto causou.


Pouco a pouco eles fizeram avanços pelos corredores da cidade, os shapers se apertavam pelos cantos para observá-los, tais criaturas estavam com medo, mas a curiosidade parecia superar este sentimento.


A luz natural parecia entrar em um dos corredores, os aventureiros finalmente encontraram a saída para a superfície. Havia uma vasta estepe muito quente que fez lembrar rapidamente o clima que conheciam de Krailos, no horizonte podiam ver uma enorme cidade, era Nuur. Enquanto caminhavam, mais nítida era a cidade, e o fato de não haver qualquer separação de Krailos e Kilmaresh os chamou a atenção, era apenas um continente, e Nuur parecia estar unindo ambos.


– "Vejo que estão bem, a ajuda veio em boa hora, não?", falou Fardos atrás dos aventureiros, rapidamente todos pararam e voltaram-se para ele, que continuou:


– "Esta é Nuur, hoje é um dia festivo para a cidade já que uma grande cerimônia irá ocorrer no grande templo de Fafnar, o mestre ancião da cidade possui o cetro, ele estará portando ele… Preciso que consigam ele a qualquer custo, lembrem-se, desta vez não poderei intervir já que isso representaria uma afronta direta a outro Deus".


– "Usem estas roupas para que não sejam notados", e assim a aparência de todos mudou radicalmente para um traje típico das festividades de Nuur, Fardos continuou: "Sejam rápidos, voltem o mais rápido possível para a cidade Shaper e usem a máquina do tempo, deixem as alavancas desta forma, assim os levarão para as mesmas ruínas shapers do seu tempo, boa sorte!". Fardos desapareceu no ar, todos viraram-se novamente e retomaram a caminhada para Nuur.



Chegando à cidade o clima era de festa, as construções lembravam em parte o que conheciam de Issavi e vários símbolos de Fafnar estavam espalhados por todos os lados, não demorou muito tempo para que avistassem o templo que Fardos havia mencionado pois havia uma enorme multidão aglomerada próximo a ele. No topo do templo estava o mestre ancião, ele portava o cetro das dimensões. Valiant olhou para seus companheiros e disse:


– "Eu vou ao topo do templo e irei roubar o cetro, mas preciso que me ajudem a correr de todos eles, muitos cidadãos tentarão impedir meu trajeto e se vocês conseguirem manter o caminho limpo poderemos ganhar um tempo precioso."


– "Está bem Valiant, use suas magias de incremento de velocidade, nós iremos criar barreiras nos momentos certos e o caminho estará limpo para que você possa correr pela multidão." falou Hera, enquanto distribuía runas de Magic Wall para todos os integrantes da equipe.


Pouco a pouco os aventureiros se posicionaram no meio da multidão, e Valiant passou a esgueirar-se entre os habitantes para chegar até o topo do templo, havia uma outra rampa que levava o topo, era muito íngreme para subir mas ideal para descer rapidamente… O plano já estava montado na mente de Valiant.


As pessoas falavam em um idioma que Valiant não entendia, mas ele aos poucos conseguiu chegar mais e mais próximo do mestre ancião, em seu interior ele suspeitava que o ponto alto da cerimônia estava prestes a acontecer.


O mestre ancião se separou de todos e se aproximou da borda do templo para mostrar algo para a enorme multidão, mesmo receoso Valiant decidiu manter-se o mais próximo possível. Após pronunciar uma série de palavras em idioma estranho aos aventureiros, o mestre ancião ergueu aos céus o cetro, era a chance de Valiant. Sem hesitar ele gritou: "Utani Tempo Hur", seus pés tornaram-se extremamente mais ágeis, em um piscar de olhos ele alcançou o mestre ancião, roubou o cetro de sua mão e correu em direção à rampa que havia avistado anteriormente.


Valiant escorregou pela rampa e conseguiu um pouso tranquilo, mas ainda precisava passar pela multidão que vinha aos gritos em sua direção. Antes que seu corredor fosse consumido por pessoas, Hera conjurou uma parede mágica impedindo que Valiant fosse atacado, a fuga durou vários tensos minutos com uso de centenas de runas de magic wall. Como os aventureiros possuíam maior velocidade, logo foi possível manter uma distância mais confortável da maioria dos habitantes que ainda seguiam uma perseguição em meio a gritos e arremesso de objetos.


A distância entre os aventureiros e a multidão aumentava a cada momento por conta de sua velocidade, neste momento, com a finalidade de despistá-los, todos conjuraram suas montarias e partiram em direção ao estepe em alta velocidade. Quando a distância já era segura para eles, um enorme estrondo dos céus os assustou e fez até mesmo com que alguns caíssem de suas montarias, imediatamente todos se viraram para observar o que ocorria e ficaram apavorados.


Uma enorme face em chamas se aproximava da cidade de Nuur, era umas das manifestações de Fafnar que parecia extremamente irritada. Com uma de suas mãos flamejantes, Fafnar golpeou a cidade e destruiu tudo o que encontrava, o fogo e a destruição tomaram conta do horizonte. O golpe foi tão forte que todo o continente tremeu, a terra rachou em pedaços e a água do mar passou a ocupar a enorme fenda produzida pelo impacto, foi neste momento que o grande continente se dividiu em Krailos e Kilmaresh.


Os aventureiros, em pânico, passaram a correr o mais rápido possível pelos estepes de Krailos, e sua distância com a cidade Shaper reduziu-se rapidamente. Logo estavam eles lá, nos corredores Shapers, e à medida que eles passavam todos se escondiam e liberavam o caminho, o trajeto até a máquina do tempo foi rápido e fácil. Com as informações fornecidas por Fardos eles puderam voltar ao presente, para as ruínas Shapers.


Em pouco tempo estavam eles lá, na biblioteca de Fardos. Ele apareceu e logo disse:


– "Excelente, meus filhos! Este é o cetro das dimensões", enquanto Fardos falava, Valiant erguia o cetro. Fardos prosseguiu:


– "Ele terá sua utilidade muito em breve, agradeço a coragem de todos vocês. Lamento que para que nosso plano funcionasse uma cidade inteira deveria ser destruída…"


– "Deixe o cetro nesta biblioteca em segurança, seguiremos à próxima etapa do plano… Descansem um pouco, especialmente você Valiant, já que o próximo passo irá requerer muito de sua mente".


Todos ficaram apreensivos e curiosos com esta última frase, mas seguiram a recomendação dele, descansaram pelos corredores da enorme biblioteca.


Continua…

7 visualizações0 comentário
bottom of page