Capítulo 3 - Sonhos e seus perigos

Gritos ecoavam das montanhas de Roshamuul, o medo parecia tomar conta, mas apesar disto eles lentamente ganharam terreno em direção ao nordeste da ilha. Após vários combates com as criaturas do local eles puderam chegar até a entrada das cisternas na qual Fardos havia mencionado. Aquele local era conhecido entre os aventureiros, já que muitos entraram e poucos saíram, os rumores diziam ser um verdadeiro labirinto e que as criaturas do local costumavam matar suas presas por sufocamento e cansaço, tudo isso atormentava ainda mais a mente dos nobres aventureiros.


Olga e Riberus deram os primeiros passos, ambos falaram:


– "Venham, pela escada norte!"


Os outros, um pouco receosos, decidiram acompanhá-los, manter-se unidos neste local era o mais importante. Ao pisarem no primeiro degrau da escada o ambiente se deformou totalmente, e antes que pudessem observar ao seu redor uma estranha criatura os atacou, era um Terrorsleep.


Como eles estavam em boa quantidade, a tal criatura, apesar de ser horrenda, foi derrotada facilmente. Ainda com medo, eles tiveram que decidir entre escadas e caminhos, pouco a pouco eles afundaram ainda mais no interior daquele labirinto.


Em um momento, ao decidirem por uma escada em específico o ambiente alterou-se radicalmente, estavam em um salão com pelo menos 5 daquelas criaturas horríveis, o combate foi difícil e demorado, ainda que com alguns ferimentos o time os derrotou. Havia ao lado uma estranha escada, diferentemente das outras ela não estava quebrada, decidiram subir, mas em vez de aparecerem em outro local totalmente diferente eles se surpreenderam que a escada simplesmente funcionou como uma normal, lá estava novamente um Terrorsleep que os atacou ferozmente e muito mais rápido que qualquer outro.


Valiant, em posição de defesa, deixou a mostra seu ring of ending, o Terrorsleep estranhamente parou e observou o anel com enorme interesse. O time, que já estava preparado para atacar aquela criatura, recuou perante aquela atitude estranha. Uma luz forte começou a sair daquele Terrorsleep, seu corpo foi consumido pela luz e seus contornos começaram a alterar-se, sua forma grande e grotesca passou gradativamente a uma forma semelhante a humana, logo a luz cessou e revelou o que seria um legítimo dream warden, todos pularam em susto e recuaram, porém ele deu passos na direção de todos e disse:


– "Você possui a chave… nosso símbolo… Há muito tempo não vejo alguém com um desses, desde o capitão…"


Valiant respondeu ao estranho sujeito:


– "Não só eu possuo tal anel, nossa companheira Ragna também possui um destes." Enquanto Valiant falava, Ragna se aproximava e mostrava seu anel para o Dream Warden.


– "Incrível, dois de uma vez… vocês que possuem a chave poderão entrar em nossa fortaleza, são bem vindos… Os que não possuem não poderão entrar.", falou o estranho dream warden.


Os outros da equipe começaram a resmungar entre eles, e em menos de um minuto entre troca de opiniões e idéias Hera falou em voz alta:


– "Tudo bem, Valiant e Ragna, por favor sigam o plano, nós os esperaremos aqui."


O dream warden, satisfeito, disse:


– "Fiquem a vontade neste local, é seguro, apesar de eu parecer um Terrorsleep anteriormente, era apenas um disfarce para evitar invasores e afastar curiosos…"


– "Valiant e Ragna, portadores do anel, saibam que esta sala que estão mudará com o tempo, e objetos relacionados a vocês e suas vidas assumirão o lugar destes objetos relacionados a capitão de navio que estão espalhados, eles ainda estavam aqui porque o último que veio até mim foi um capitão de navio."


– "Vocês estão prontos para entrar em nossa fortaleza?"


Valiant e Ragna responderam com alto interesse:


– "Sim, estamos!"


– "Excelente, aproximem suas mãos desta fornalha", ele apontou a uma fornalha ao sul e continuou: "coloquem suas mãos no fogo, não tenham medo, o fogo os consumirá e os transportará à nossa fortaleza."


Um pouco receosos, Valiant e Ragna colocaram suas mãos na fornalha acesa, os outros guerreiros testemunharam seus corpos entrarem em chamas e desaparecerem. Ambos, em um piscar de olhos, apareceram em uma pequena estrada, de tudo que podiam ver certamente o mais chamativo era uma enorme fortaleza ao fundo, ela parecia muito escura, de tijolos azuis e inúmeras janelas, além dela havia pedras que flutuavam por todos os lados e o clima do local, que tinha uma aparência úmida e chuvosa. Eles começaram então sua caminhada em direção à porta principal.


Ao chegarem próximo a grande porta ouviram um barulho forte, como se algo enferrujado estivesse quebrando, foi neste momento que Valiant e Ragna perceberam que a porta estava abrindo para eles. Com uma mistura de medo e curiosidade eles entraram na fortaleza, tudo parecia abandonado: havia teias de aranha por todos os lados, uma quantidade imensa de poeira, e o cheiro do ambiente que fazia até mesmo o mais forte sucumbir a enjoos.


Valiant então gritou:


– "Alguém aí?"


Seu grito ecoou por todo o ambiente, sem qualquer resposta.


– "Ragna, acho que este lugar está totalmente abandonado" Enquanto ele estava virado a ela, ela percebeu um enorme vulto passando entre duas salas do corredor, rapidamente Ragna o alertou enquanto preparava seu arco:


– "Valiant! Tem algo ali, e é grande!"


Valiant, assustado, desembainhou sua espada. Novamente tal criatura passou rapidamente pelas costas dos dois guerreiros, eles se assustaram e se dirigiram para o vulto, Ragna disparou uma flecha que acertou uma das paredes do corredor.


Ambos, já desesperados, sentiram um bafo úmido em suas costas, se viraram rapidamente e encontraram uma criatura semelhante a um silencer, estavam a ponto de atacá-lo quando escutaram uma voz:


– "Não o ataquem, ele é inofensivo, apenas é curioso… Nós não temos visitantes a muito tempo, e ele está feliz em ver alguém além de mim aqui."


Um dream warden apareceu vindo da escuridão, se aproximou de ambos aventureiros e disse:


– "Aliás, eu estou surpreso, quem são vocês? Digam seu nome e profissão…"


– "Sou Valiant, Cavaleiro…"

– "Sou Ragna, Paladina…"


Ambos responderam rapidamente em sinal de respeito, mas como sua curiosidade era grande, Valiant perguntou:


– "E você, como poderíamos chamá-lo?


O Dream Warden retirou sua máscara e olhou para ambos, após alguns segundos de silêncio, ele finalmente disse:


– "Sou Marv, o último Dream Warden, pelo menos o último que ainda não enlouqueceu…"


Valiant, surpreso falou:


– "Você era o capitão Marv? Do navio SS. Primordia?"


Marv, ainda mais surpreso respondeu:


– "Sim, sou eu mesmo… Eu iria perguntá-lo como sabes disso, mas creio que seu tema é mais urgente… Porque estão aqui?"


– "Precisamos entrar nos sonhos de Azerus e obter algumas informações." Respondeu Ragna.


– "Invadir o sonho de alguém… e porque ele? Quem os enviou aqui?" Marv obviamente queria mais informações, sabia que algo estranho estava acontecendo.



Valiant e Ragna, indecisos, olhando um ao outro pareciam perguntar-se em seus pensamentos: "Deveríamos dizer a verdade?". Valiant decidiu que o correto seria manter sua sinceridade:


– "Necessitamos de uma informação sobre Azerus e uma organização à qual ele pertence, quem nos enviou foi Fardos, criador deste mundo…"


Marv não pôde segurar seu espanto, eles tinham o anel, foram autorizados a entrar e quem os enviou era nada mais, nada menos que um dos deuses. Qualquer um normalmente suspeitaria que haveria uma chance de estarem mentindo, mas Marv não, ele acreditava em uma lenda da ordem do fim que indicava que os que possuíam o anel eram sinceros e suas causas nobres, para ele não havia qualquer chance deles estarem mentindo. Sem qualquer dúvida, ele decidiu dar todo o suporte que eles precisassem. Marv, ainda com visível surpresa em seu rosto, disse:


– "Está bem, lhes ajudarei no que precisarem, sigam-me. Aliás, sejam bem vindos à fortaleza da Ordem do Fim!"


Eles desceram muitas escadas em direção ao subsolo, quanto mais desciam, mais a escuridão tomava conta do local. Marv finalmente parou em um dos andares e disse:


– "Chegamos à sala dos sonhos, não se espantem, o local realmente é enorme".


Marv abriu a porta e uma grande luz ofuscou os olhos de Valiant e Ragna, após poucos segundos eles puderam acostumar-se e observaram um enorme salão, extremamente claro e bem iluminado com milhares de figuras e cristais próximas a elas. Enquanto caminhavam puderam identificar várias das figuras, como o rei Tibianus, a rainha Eloise, Henricus e muitos outros, Marv parecia conhecer com extrema precisão o local onde estaria cada figura, incluindo a de Azerus.


Após alguns minutos em uma silenciosa caminhada, Marv subitamente parou, olhou à sua direita e falou:


– "Aqui está, Azerus, para chegar ao seu sonho deverás pensar em uma época, ou seja, um momento do tempo. Pode ser o passado, presente ou até mesmo o futuro…"


– "Precisamos que seja no momento anterior ao que Azerus foi derrotado e expulso de Yalahar…" Respondeu rapidamente Ragna.


– "Certo, toquem no cristal, vocês serão levados ao sonho de Azerus, aguentem firme… A viagem costuma ser difícil nas primeiras vezes."


Eles tocaram o cristal, o mundo pareceu girar, seus corpos deformaram-se, tudo escureceu e subitamente voltou a clarear-se, estavam eles lá, observando um dos sonhos de Azerus.


Azerus era inconfundível com sua roupa, estavam junto a ele muitos outros Yalaharis com roupas um pouco menos extravagantes. Valiant e Ragna se aproximaram com muito cuidado, mal sabiam que não importava o que fizessem, ninguém poderia notá-los. A uma curta distância começaram a escutar a reunião:


– "Variphor não poderá esperar muito mais, o ritual de ascensão deverá ocorrer muito em breve, mas antes precisamos certificarmos que suas criaturas possam entrar e permanecer em nossa dimensão por tempo adequado…"


– "Azerus, isto já parecia ser algo certo, nós pudemos manter grande quantidade de Rift Broods, Worms e Scythes no subsolo da cidade, o processo de mudança de dimensão parece finalmente ter chegado a algo estável…"


– "É estável, mas estas criaturas estão perdendo grande parte de sua força durante a transição, e isto Variphor não aceitará, precisamos achar uma solução e devemos ser discretos, já há inúmeras suspeitas pela cidade, a começar por este Palimuth…"


– "Azerus, dê um ultimato a ele, diga que junte-se a nós, ou nós o mataremos para evitar que nossos segredos se espalhem".


Ragna, assustada, não conseguiu conter seu medo e soltou um grito estridente, Valiant colocou a mão em sua boca mas notou que estranhamente ninguém havia escutado, novamente aquela sensação de que tudo estava girando voltou, um grande redemoinho sugou tudo pertencente àquele sonho e eles voltaram à escuridão. A luz novamente apareceu e lá estava Azerus, mas o ambiente havia mudado: estavam no local da luta final no centro de Yalahar, onde outras versões de Valiant e Ragna também estavam, porém muito mais jovens. Azerus estava a ponto de ser derrotado apesar de inúmeros war golems protegendo-o, um teleporte apareceu como distração e diversas pessoas entraram nele, no entanto, no meio dessa distração Azerus esgueirou-se por uma passagem secreta, Valiant e Ragna o seguiram.


Azerus parecia falar com muita pressa enquanto corria, ele utilizava alguma espécie de dispositivo:


– "O plano A falhou, fomos descobertos, um exército está invadindo e selando a passagem para a dimensão de Variphor, a inquisição nos encontrará em breve se não fugirmos, encontrarei todos vocês no local combinado, seguimos ao plano B".


Valiant e Ragna seguiam Azerus, mas estavam confusos com o que seria este plano B.



Finalmente chegaram ao subsolo do alchemist quarter de Yalahar, havia um estranho portal com ossos e arcos de energia que pareciam orbitar tal portal, a cada minuto mais Yalaharis chegavam, todos em silêncio. Pouco tempo havia passado desde que o plano A havia falhado quando Azerus falou em alto tom para todos os presentes:


– "Nosso plano infelizmente falhou, mas não desistiremos! Recuaremos à terra de nosso mestre Variphor, uma cidade está sendo construída à semelhança desta onde sempre vivemos, nós voltaremos e na próxima vez o mundo pagará por seus erros!


Azerus tocou com um cajado o portal, este mudou totalmente de cor e os arcos de energia triplicaram de tamanho, um a um os Yalaharis entraram, Azerus foi o último. Após todos entrarem, o portal emitiu sons altos e incompreensíveis e subitamente explodiu, todo o ambiente ao redor de alchemist quarter foi destruído, Valiant e Ragna tentaram fugir, mas a explosão nada causou a eles, afinal, estavam apenas em um plano dos sonhos e nada lá poderia afetá-los fisicamente. Logo após a explosão todo o ambiente começou a deformar-se, a escuridão voltou novamente e após abrirem os olhos novamente estavam lá, juntos a Marv, que os olhava com grande curiosidade.


– "O que houve?" Disse Marv.


– "Azerus é um dos líderes dos seguidores de Variphor, eles possuem uma cidade na outra dimensão…" Disse Valiant, quase sem fôlego.


– "Eles fugiram para lá, o portal está em Alchemist Quarter." Ragna completou.


Marv não conhecia muito de Variphor, mas sabia que algo muito ruim estava a acontecer se os dois não tivessem todo o apoio, ele usou uma magia e levou Valiant e Ragna a um local proibido da área dos sonhos, ambos pularam em susto quando viram o ambiente claro mudar para um extremamente escuro, onde os cristais eram as únicas fontes de luz do local.


– "Este local… O salão dos sonhos proibidos, jamais entrei em qualquer um deles pois sempre me informaram que podem ser perigosos."


– "Não conheço muito bem este ser Variphor, mas creio que vocês estão buscando mais informações sobre ele… Aqui há um cristal que leva ao seu sonho, se quiserem entrar tomem muito cuidado, eu não sei o que encontrarão lá."


Ambos aventureiros paralisaram de medo, a curiosidade era imensa e o risco maior ainda, entrar naquele sonho poderia trazer respostas, mas poderia revelar verdades perturbadoras. Valiant decidiu perguntar a Marv:


– "Mas Variphor não é um deus da outra dimensão? Como poderíamos acessar o sonho de uma entidade tão poderosa?"


– "Este sonho não pertence àquele deus, mas sim ao seu aspecto de Demon Overlord que já invadiu ou invadirá nosso mundo em um futuro."


Valiant e Ragna olharam um ao outro, e pensaram: "aquilo seria uma previsão do que estaria por vir?", ambos decidiram que queriam saber o que haveria em seu futuro, eles se aproximaram do cristal e o tocaram.


A sala escura tornou-se ainda mais escura, imensos raios de energia apareciam por todos os lados iluminando parcialmente as trevas, uma forte névoa piorava ainda mais qualquer identificação visual do local, e por entre a neblina apareceu uma imagem de um demon overlord preto, com olhos amarelos e chifres marrons. Valiant e Ragna pensaram que assim como os outros sonhos nada ali poderia afetá-los ou percebê-los.



Variphor, em seu aspecto demoníaco disse:


– "Valiant… Ragna… Seguidores de Fardos… Seu fim está próximo, muito próximo…"


Ambos congelaram de medo, sem falarem uma única palavra tentaram fugir do local, corriam com todas as suas forças mas a distância entre eles e Variphor se mantinha a mesma.


– "Não adianta fugir… Mas tenho uma boa notícia para vocês, uma oportunidade…"


Valiant e Ragna pararam imediatamente e passaram a olhar para Variphor. Este deus, apesar de estar em um aspecto pertencente a esta dimensão ainda conservava grande poder, e um deles era a capacidade de hipnose de seres inferiores, e foi justamente isto que ele fez:


– "Juntem-se a mim, lhes darei força e poder que vocês jamais sonharam, concederei a vocês a vida eterna em meu reino".


Valiant estava lutando em seu interior contra aquele poder imenso que parecia infiltrar cada vez mais profundo em sua mente, quando soltou um grito:


– "NÃOOO, AAAAHHHH"


Ele, paralisado, viu ao seu lado Ragna caminhando em direção ao Variphor, ele desesperado gritou novamente:


– "NÃO Ragna, Não se aproxime dele, aguente firme!"


Ela não parou, Valiant começou a perder sua força. Novamente ele gritou, mas agora sem fôlego:


– "Ragna… não… não faça isso…"


Ragna se aproximou de Variphor e disse:


– "Mestre, me apresento para contribuir aos seus interesses." Ela rapidamente dirigiu seu olhar a Valiant.


Valiant caiu ao chão sem forças, levantou seu rosto e notou que os olhos de Ragna já não eram mais os mesmos, ela estava possuída. Em uma última tentativa desesperada ele falou:


– "Ragna, sou eu Valiant, volte por favor!"


Variphor soltou uma risada infernal e falou:


– "Que assim seja, eu a recebo Ragna, bem vinda ao reino das trevas!"


Valiant notou que o chão parecia girar, um forte redemoinho começou a sugar a todos, ele perdeu temporariamente a consciência e acordou novamente no enorme salão onde Marv estava esperando. Marv percebeu que algo muito ruim havia ocorrido já que apenas Valiant voltou, e ele estava em lágrimas.


– "Onde está Ragna?", Marv perguntou, mas com medo de já saber a resposta.


– "Variphor… Ele a levou… Era muito forte e ela não resistiu… Nós a perdemos", falou Valiant enquanto chorava.


Uma enorme explosão ao lado deles os assustaram. O salão, até então escuro, se iluminou por completo, uma figura extremamente brilhante apareceu… Era Fardos.


– "Venha Valiant, precisamos conversar urgentemente, já levei seus outros companheiros, venha comigo".


– "Marv, você sabia que estes sonhos eram extremamente perigosos…", falou Fardos com raiva.


Marv, ajoelhado, baixou a cabeça e falou:


– "Me desculpe Senhor… Eu sinto muito, pensei que isto os ajudariam."


Fardos sabia que Marv queria ajudar, mas infelizmente algo naquele local havia saído do controle, novamente ele se dirigiu a Valiant e falou:


– "Não temos tempo, a guerra é iminente e precisamos nos reunir… Venha comigo Valiant" Falou Fardos enquanto uma bola de energia aparecia ao redor dele.


Marv foi deixado sozinho enquanto Fardos e Valiant voltaram para a biblioteca. Lá estavam Lesly e os outros seis companheiros esperando, mal sabiam eles que haviam perdido uma companheira.


Continua…


35 visualizações0 comentário